The current predicament at one of the storied homes of football is really worrying not just from a Manchester United point of view but a general point of view. The once kings of England have fallen into a perpetual abyss of systemic mediocrity. They have fallen so far from the top that it would be hard to imagine them going any deeper.

Desde a reforma de Sir Alex Ferguson, o clube conquistou apenas cinco troféus, nenhum dos quais contém o tão cobiçado troféu da liga. São cinco troféus em quase uma década, uma abominação para um clube tão massivo como o United. Os cinco troféus não são o que um adepto médio do United se orgulharia.

Claro, com os falhanços vieram as cabeças. Desde 2013, o United contratou cinco treinadores, seis se considera o mandato provisório de Ralf Rangnick. Embora não se possa realmente argumentar que Mourinho desfrutou mais do sucesso de todos, também é verdade que foi o mais criticado e escrutinado.

Embora os adeptos do United tenham tido de lidar com a mediocridade durante grande parte da década, a época passada foi um dos piores de sempre para o clube. O clube terminou numa sexta posição ‘lisonjeira’ e teve uma diferença de zero golos e também foi totalmente brutalizado pelos seus principais rivais como Liverpool e Man City.

A temporada surgiu como um  verificação da realidade brutal para os adeptos que tinham tanta esperança de entrar na próxima temporada, especialmente vindos de um segundo lugar na liga e como finalistas da Liga Europa. Sem acrescentar a emoção que surgiu fruto do regresso do craque português Cristiano Ronaldo e da contratação de talentos de classe mundial como Raphael Varane e Jadon Sancho.

Longe vão os tempos em que o United estava cheio de talentos e adorava toda a Europa para atrair os melhores talentos. Então, quais são as razões para o grave declínio do grande Manchester United? Mais importante ainda, porque é que os jogadores mal consideram Old Trafford um destino digno hoje em dia? Vamos ver as razões prováveis.

Ler:  Arsenal agree £105m deal for Declan Rice as West Ham ace prepares for medical

Gastos desperdiçados

Desde 2013, o Manchester United gastou mais de mil milhões de libras em transferências e mais de 2 mil milhões de libras em salários de jogadores e de não jogar. Este é um dos mais altos do futebol mundial e é absolutamente um desperdício, dado o atual nível de mediocridade no clube.

Jogadores como Paul Pogba e Angel Di Maria custaram os braços e as pernas do clube, enquanto as suas atuações deixaram o clube com gostos azedos após as suas saídas. Numa jogada que melhor resume os maus negócios, Pogba está pronto para voltar ao Juventus outra vez numa transferência gratuita.

Quando se pensa na palavra “desperdício”, o United devia vir à mente. O clube tem sido tão descuidado financeiramente que outros clubes europeus agora os vêem como uma vaca de dinheiro para ressuscitar as suas finanças, como podemos ver na saga de transferências de De Jong.

O clube também pagou demasiado para alguns jogadores, nomeadamente Harry Maguire. Até agora, o defesa inglês fez tão pouco para retribuir a confiança que o clube depositou nele ao bater o recorde mundial de um defesa. Ele também foi quase instantaneamente convocado como capitão e as suas performances têm sido muito abaixo do par para um jogador de 80 milhões de libras.Os salários da maioria dos jogadores do United também são simplesmente escandalosos. até agora o clube está a ficar cada vez pior, principalmente devido a gastos desperdiçados.

Escolha errada dos treinadores

Este tornou-se um tema recorrente em Old Trafford. Isto não quer dizer que os treinadores empregados desde 2013 tenham sido maus treinadores, mas os resultados e os estilos de jogo simplesmente refletem isso,

Ler:  Será que os quatro grandes da Premier League continuarão a ser uma coisa depois de 2022/23?

David Moyes chegou ao United que acabou de ganhar a liga com  Ferguson, mas a qualidade dos jogadores que conheceu simplesmente não foi suficientemente boa. Permanecerá para sempre um mistério como Ferguson ganhou a liga com aquela equipa.No entanto, as suas táticas eram muito pouco claras, a equipa lutou em todas as frentes, e para além da época passada, a temporada 2013/14 tem de ser a pior temporada pós-Fergie.

Depois veio o maestro holandês Louis Van Gaal, que tinha acabado de conquistar o bronze pela seleção holandesa no Brasil.

As suas táticas foram aclamadas como baseadas na posse de bola e envolveram as suas equipas pressionando os adversários, segurando a posse da bola por longos períodos. No entanto, ele não conseguiu traduzir a posse de bola em golos, e enfim levou à sua demissão.

Os outros gestores tinham a sua própria filosofia que tinha prometido no início, mas que acabou em total desespero e fracasso. Apesar de Mourinho ter conquistado três troféus pelo clube, o seu futebol foi rotulado de “chato”.

O favorito dos fãs, Ole Gunnar Solskjaer, foi talvez o pior do lote e não tinha plano.

Correu a sua sorte até ficar sem ideias. O caso de Ralf Rangnick é demasiado curto e terrível para analisar.

Sem estilo de jogo definido

Como se esperava, a escolha errada dos treinadores veio obviamente com um estilo de jogo inexistente. A equipa do United é tão má que até os melhores talentos entraram no clube e pareciam médio devido a uma abordagem terrível às táticas ou a nenhuma tática.

Embora muitos tenham afirmado que a demissão de Van Gaal estava errada, pois na verdade tinha o estilo de jogo mais definido entre todos os treinadores desde 2013, a sua abordagem não produziu os resultados necessários.

Ler:  Pelé: Vida, legado e jogadores na sua região de grandeza

José Mourinho e Ole Gunnar Solskjaer jogavam futebol de contra-ataque, que às vezes funcionava, e na maior parte das vezes, não. Ole foi criticado por ter lutado vencer contra as equipas beatável, uma vez que o seu estilo parecia encaixar-se principalmente em grandes jogos.

Rangnick entrou e prometeu futebol premente, mas só conseguiu pressionar o coração dos adeptos do United com algumas das piores exibições de sempre na história do clube.

Falta de Troféus

Isto é importante para todos os jogadores de topo; ganhar troféus é importante, pois é o que diferencia os melhores jogadores dos seus congéneres. Ao tentar convencer os melhores jogadores a juntarem-se ao seu clube, ter um projeto vencedor é muito importante, e até agora o United não tem nada a oferecer, dada a sua recente alergia a ganhar títulos.

Quando a temporada 2022/23 começar, os adeptos do United farão bem em lembrar que vai marcar a décima temporada em que o clube está sem levantar a Premier League e a sexta temporada sem ganhar qualquer troféu. Esta é uma tendência que o novo treinador Erik ten Hag tem de acabar se o United voltar a recuperar o seu fascínio no mercado de transferências.

Embora os Red Devils estejam num momento baixo, a história, a base de fãs e as proezas comerciais do clube permanecem intactas. Os novos executivos e o treinador têm de encontrar uma forma de obter os jogadores ‘certos’ pela quantia certa e trazer este clube de volta para onde pertence.

Share.
Leave A Reply